Segunda-feira, Maio 20, 2024

Top 5 This Week

Related Posts

Fadista Rodrigo Idade

Rodrigo Ferreira Inácio, conhecido carinhosamente por sua arte como apenas “Rodrigo”, é uma das figuras emblemáticas do fado português. Nascido em Lisboa, Rodrigo cresceu para se tornar uma voz respeitada e um símbolo cultural da cidade de Cascais. Este artigo pretende traçar a sua trajetória desde as suas origens humildes até o seu reconhecimento internacional, explorando as nuances que tornam a sua contribuição para o fado e para a cultura portuguesa tão significativa. Considerando o fado como património imaterial da humanidade, compreende-se a relevância de Rodrigo não somente para a sustentação deste género musical, mas também para o enriquecimento do tecido cultural de Portugal.

Fonte: https://www.portaldofado.net/

Idade Atual de Rodrigo Ferreira Inácio

Rodrigo Ferreira Inácio, mais conhecido como “Rodrigo”, nasceu no dia 29 de junho de 1941. Considerando a data atual, é possível calcular a sua idade exata. Vamos realizar este cálculo para determinar quantos anos Rodrigo tem hoje, mantendo em mente a riqueza de sua trajetória artística e a sua contribuição inestimável à cultura do fado.

Atualmente, Rodrigo Ferreira Inácio tem 82 anos de idade (em 2024). Esta marca não só destaca a sua longevidade pessoal, mas também simboliza a extensão da sua influência no mundo do fado e na cultura portuguesa ao longo das décadas. A sua vida, repleta de realizações artísticas e contribuições culturais, continua a ser uma fonte de inspiração e admiração

Traços Iniciais de Uma Carreira Brilhante

Rodrigo nasceu na freguesia da Graça em Lisboa, no dia 29 de junho de 1941. A música, especialmente a canção lisboeta, despertou o seu interesse desde cedo, influenciado por grandes nomes como Carlos Ramos. A sua participação no grupo ‘5 Reis’, que se notabilizou em programas televisivos, foi um dos primeiros passos que o encaminharam para uma vida dedicada à música. Antes de se dedicar completamente ao fado, Rodrigo teve diversas ocupações, mas a música sempre foi a sua vocação inegável.

Emigração, Volta a Portugal e Fruição Musical

A sua jornada musical ganhou um novo capítulo com a emigração para França, mas foi a experiência num retorno a Portugal, numa casa de fado em Alcântara chamada “Cesária”, que selou o seu destino com o fado. O retorno a sua terra natal incentivou-o a mergulhar de vez nas raízes do fado, frequentando casas de fado amador e associando-se a figuras importantes do meio, tais como Teresa Tarouca e João Braga. A sua carreira musical começou a florescer com as primeiras gravações e a progressiva profissionalização no mundo do fado.

O Fadista de Cascais: Casas de Fado e Reconhecimento

Pronunciando-se como “o fadista de Cascais”, Rodrigo consolidou a sua identidade ao inaugurar casas de fado neste concelho, tornando-se uma referência local. A sua história é marcada por momentos grandiosos, incluindo um encontro memorável com a Rainha Isabel II, em que o conhecimento dela sobre fado o impressionou profundamente. Álbuns como “Marés de Saudade” e canções populares enriqueceram o seu repertório e ampliaram o seu reconhecimento. A conexão especial com Cascais atravessou toda a sua carreira, abraçando desde os pescadores locais até figuras de destaque nacional e internacional.

Um Legado Construído: Discografia e Prémios

Ao longo da sua carreira, Rodrigo lançou uma discografia extensa e aclamada por crítica e público. Alguns dos seus álbuns alcançaram o prestígio de serem certificados como ouro ou prata, destacando-se entre eles “Marés de Saudade”. Para além dos aplausos obtidos em território lusitano, Rodrigo foi também laureado internacionalmente, recebendo, por exemplo, o título de Cidadão Honorário do Estado de Rhode Island, nos Estados Unidos da América, reconhecendo o seu papel como embaixador do fado e da cultura portuguesa.

Representante do Fado pelo Mundo

Rodrigo não apenas cantou o fado; ele viveu para divulgá-lo além-fronteiras, apresentando-o em inúmeros palcos internacionais. Cuidadoso com os detalhes, da escolha do repertório à apresentação das músicas, ele era um verdadeiro representante do fado no mundo. Além da sua carreira solo, contribuiu ativamente para a comunidade artística através de sua participação na União Portuguesa de Artistas de Variedades (UPAV), apoiando e promovendo a arte e os artistas portugueses.

Conclusão

Rodrigo representou mais do que uma voz no fado; tornou-se um símbolo de autenticidade e devoção. Os seus 50 anos de carreira ilustram uma relação duradoura com a música, que permeou não só a sua vida mas também a cultura portuguesa como um todo. O seu legado persiste, servindo de inspiração para as atuais e futuras gerações na apreciação e perpetuação do fado.

Notas Finais

Convidamos os leitores a descobrirem a música de Rodrigo e a visitarem Cascais para vivenciarem o seu legado. Para aqueles que desejam se aprofundar, recomendamos explorar o Museu do Fado e a discografia disponível, perpetuando a memória de um dos grandes naturalistas do fado português.

mariana
Latest posts by mariana (see all)
Artigo anterior
Próximo artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Popular Articles