De acordo com o Estudo Internacional da GfK, metade das pessoas declara que já sofreu
de tosse ou constipação nos últimos 12 meses e mais de um quarto dos questionados
reporta ter sofrido de insónias ou dificuldades em dormir. Estes são os resultados de
uma recente pesquisa da GfK que questionou mais de 27 mil pessoas, em 22 países,
sobre o seu estado de saúde nos últimos 12 meses.
Os problemas de saúde questionados incluíam aspetos relacionados com a pele, alergias,
vómitos ou diarreia, diabetes ou pré-diabetes e alto colesterol ou pressão arterial alta. No
entanto, a nível internacional verificou-se que os cinco problemas mais comuns e
experienciados nos últimos 12 meses foram: a constipação (correlacionada com tosse, dores
de garganta, infeções respiratórias ou gripe), distúrbios de sono (27 por cento), dores de
músculos ou articulações devido a um ferimento ou esforço físico em excessivo (25 por cento),
problemas de peso (21 por cento) e enxaquecas ou fortes dores de cabeça (21 por cento).

A República Checa tem mais constipações e a Suécia mais insónias
Na República Checa e na Rússia o estudo revelou que é onde mais pessoas sofreram de uma
constipação ou tosse nos últimos 12 meses, comparativamente com os outros países
analisados, correspondendo respetivamente a 67 por cento e 62 por cento. Por outro lado, a América e o Japão, possuem menos queixas de constipação ou tosse, ambos com 39 por cento. No que diz respeito a insónias, a Suécia tem a maior percentagem de pessoas afetadas (41 por cento), seguida pela República Checa e Turquia (ambas com 40 por cento). O país cuja população tem melhores noites de sono é o Japão, onde apenas 13 por cento reportaram dificuldades em dormir.

Mais mulheres que homens experienciam dificuldades em dormir

Analisando o contraste entre homens e mulheres, é possível notar claras diferenças ao nível do género. Na maioria das condições de saúde listadas, as mulheres têm percentagens maiores no que corresponde à experiência destes sintomas nos últimos 12 meses. No entanto, ambos reportaram uma constipação ou sintoma de tosse como sendo a queixa mais comum (53 por cento nas mulheres e 49 por cento nos homens). A segunda queixa mais frequente para as mulheres são as insónias (32 por cento), enquanto para os homens surgem, em igualdade, as dores de músculos ou articulações devido a ferimento ou esforço excessivo e insónias (ambas com 24 por cento). Existe também uma diferença nos sintomas do top 5 de cada um dos géneros. Nas mulheres, enxaquecas ou dores de cabeça fortes são a terceira queixa mais comum, não constando nas cinco queixas mais comuns dos homens (reportadas por 27 por cento das mulheres e 15 por cento dos homens). Quanto aos homens, azia ou refluxo ácido são a quarta queixa mais comum, no entanto esta patologia não consta no top 5 das mulheres – embora mais mulheres que homens tenham reportado experienciar estes sintomas no último ano (19 por cento de homens para 21 por cento de mulheres). David Mackenzie, diretor-geral de investigação de saúde da GfK, refere que: “Ao combinar os pontos de vista conscientes dos consumidores com os nossos dados de saúde quantitativos e de investigação, conseguimos proporcionar aos nossos clientes, cada vez mais uma perspetiva real na perceção de sintomas dos pacientes pelos próprios”.

 

Acerca do Estudo

A Gfk conduziu um estudo online com mais de 27 mil consumidores, com idades iguais ou superiores a 15 anos em 22 países. O trabalho de campo foi efetuado no curso do verão de 2015 e os dados têm sido trabalhados de forma a refletirem a composição demográfica da população online com 15 ou mais anos em cada mercado. Os países incluídos são Alemanha, Argentina, Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, China, Coreia do Sul, Espanha, EUA, França, Hong Kong, Itália, Japão, México, Países Baixos, Polónia, República Checa, Reino Unido Rússia, Suécia e Turquia. Acerca da GfK A GfK é a fonte fidedigna de informação relevante sobre mercados e consumidores que permite aos seus clientes tomar decisões mais inteligentes. Mais de 13.000 peritos em estudos de mercado combinam a sua paixão com os 80 anos de experiência da GfK em ciência de dados. Isto permite à GfK oferecer perspectivas globais de importância vital combinadas com informações locais de mercado para mais de 100 países. Utilizando tecnologias inovadoras e ciências de dados, a GfK transforma os grandes volumes de dados em informação inteligente que permite aos seus clientes ganhar vantagem competitiva e enriquecer as experiências e as escolhas dos consumidores. Para mais informação, visite www.gfk.com ou acompanhe a GfK no Twitter: www.twitter.com/gfk_en